terça-feira, 30 de junho de 2009

Convite

Candidatura de Ana Gomes


Ana Gomes é sem dúvida uma candidata socialista com um grande currículo político. Nas autárquicas que se avizinham é a candidata à Câmara Municipal de Sintra.
Possui um projecto credível. Aposta no futuro desta vila da região de Lisboa. Aberta a ideias, a deputada europeia é sem dúvida uma óptima candidata para garantir a estabilidade da Câmara Municipal de Sintra e colocar a câmara sintrense no rumo certo, saindo assim do desnorte criado por Seabra.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Entrevista à Newsletter do ISCSP

Festas da Praia

As maiores festas do concelho da Praia da Vitória terão, como é habitual, mais uma edição este ano.

Entre 31 de Julho e 9 de Agosto vários nomes vão passar pela cidade de Vitorino Nemésio. Paulo Gonzo, Boss AC, Brand Carlile, João Pedro Pais, Rita Guerra e "Gabriel, o Pensador" são alguns dos cabeças de cartaz.

Brevemente todo o programa poderá ser consultado em www.festasdapraia.com



Cartão AJITER

É sem dúvida uma boa notícia para a juventude terceirense. Vejam o video...

video

A água em Angra

Angra não é uma cidade qualquer dos Açores. É certo que já teve o seu tempo de evolução mas se ela tem o nível que tem hoje é graças aos projectos desde há muitos anos apresentados pelo Partido Socialista e seus candidatos: Sérgio Ávila, José Pedro Cardoso e Andreia Cardoso.
Em Angra temos uma cidade sorridente, madura, com história, cultura, qualidade de vida, que nos últimos anos nunca esqueceu o seu passado mas que anda sempre a preparar o caminho do futuro. Como todas as outras cidades sofre alguns problemas é certo. O mais recente é a falta de água.
Sem dúvida que este constitui um problema grave mas não podemos colocar as culpas no executivo camarário. Hoje em todo o Mundo, há crises de seca, problemas nas condutas ou nas mais diversas fontes que nos fornecem água e que nos obrigam a fazer alguns cortes nesse bem essencial para uma melhor e mais justa distribuição da pouca água existente.
O meio ambiente, muito por nossa culpa, está muito instável. Ora faz sol, ora faz chuva, ora passamos meses sem chuva ou então quando chove, chove muito pouco. Quanto a isto não devemos colocar as culpas no executivo de Angra. Temos sim que culparmos a nós próprios. Quantas vezes não acontece estarmos a escovar os dentes e a torneira está aberta? Quantas vezes não tomam banhos de 20 minutos ou 30 quando o podemos fazer em 5? São atitudes que temos que corrigir.
Nós Açores, que estamos mais afastados de outras regiões por questões geográficas, apesar de ser uma solução cara, devíamos apostar agora na dessalinização da água do Mar. É provavelmente a solução menos agradável pela despesa e lenta destruição de um importante habitat natural. Mas provavelmente não há outras soluções melhores para colmatar os problemas que um clima instável provoca porque nós, enquanto região insular não temos nascentes suficientes para o caso de termos um eventual aumento populacional que podemos registar no futuro e não podemos fazer chegar até nós água de nascentes de outras regiões do nosso país.
É fácil colocar as culpas em alguém que não tem culpa e que apenas tenta resolver este problema da melhor forma. Fazer correr água nas canalizações de uma cidade não fica resolvido com o simples acto de abrir uma torneira.

Praia, abraçando o futuro

Sou orgulhosamente praiense. Hoje em dia estudo ciência política em Lisboa e como o leitor deve perceber ando entre Lisboa e Terceira.
Cheguei a Lisboa há pouco mais de um ano e meio e tento ter ao máximo uma maior dedicação nos assuntos políticos que envolvem a cidade de Lisboa nunca tirando a atenção daquilo que se passa na minha cidade de origem. É interessante observar a disparidade entre os problemas da capital de Portugal e as pequenas grandes cidades açorianas. Compreende-se logo à partida o “porquê?” de serem tão díspares e tão diferentes pois as dimensões não se comparam.
Enquanto em Lisboa o assunto pode ser o metro cheio de água quando chove como acontece e não se compreende, na nossa praia o assunto pode ser, como foi nas últimas semanas de 2008, o encerramento do eternamente nosso “Café Terezinha”.
Gosto de observar as realidades das duas cidades. Por Lisboa podemos ter um passeio que às vezes é desmotivador porque na esquina de uma rua podemos encontrar um pedinte sem pernas, no metro, um pedinte que é cego, na rua do politeama, um pedinte terceirense que sempre que o vejo, para espanto da minha companhia, vou cumprimentá-lo e dar uma esmola. É desmotivante e dá-nos a noção do tamanho da nossa impotência perante estas situações porque 1€, 2€, 5€, 10€, 15€, 20€, uma sandes ou um sumo não vai resolver para sempre o problema daquela pessoa, vai simplesmente e só ajudá-la.
Pela Praia passeio quando lá vou e é um passeio motivador porque problemas como os que citei anteriormente não são tão evidentes embora possam existir. Ter passeado pela Praia nas minhas últimas férias encheu-me de orgulho porque passeia-se num meio onde a vida social é bastante boa. O Presidente preocupa-se com as pessoas pobres, o Presidente ajuda-as e as mais diversas associações estão perto delas ajudando-as como podem e no que podem ajudar.
Olho a Praia e vejo ali um belo futuro porque lá não nos preocupamos em deixar a porta fechada porque podemos ser assaltados se estiver aberta; não olhamos a outra pessoa e dizemos para nós “parece-me que este gajo me vai assaltar”. Nada disso! Embora estejamos sempre precavidos, são situações que felizmente ou infelizmente acontecem esporadicamente. O que constitui um grande problema para a Praia e para os praienses é o fim da geração Rocha na gestão do mais antigo café da cidade. Gerência esta que teve termino no final do ano pela já longa idade dos antigos proprietários. Que belo café… vai deixar saudades!
Um pouco mais a sério… é óbvio que a praia tem Problemas verdadeiros e que nos últimos 4 anos têm sido resolvidos da melhor forma possível desde que Roberto Monteiro assumiu os comandos da cidade. Hoje: ouve-se os funcionários da câmara para se atingir determinados objectivos, noutros tempos chegava-se à câmara e nada disso acontecia. Hoje passeio pela cidade sabendo que vou ter uma piscina anexada à Escola Secundária Vitorino Nemésio; que tenho transporte no centro da cidade; que está a ser construída a tão prometida avenida; que as freguesias têm verdadeiros apoios e não meras promessas; sabendo que tenho condições para aceder aos mais diversos locais da cidade para observar paisagens paradisíacas da nossa ilha; sabendo que as pessoas do Bairro Joaquim Alves estão sendo alojadas em casas com melhores condições e que há muito foram prometidas; passeio sabendo que vou ter mais e melhores locais para a juventude, ou mesmo sabendo que posso apresentar um projecto à Câmara recorrendo ao Gabinete de Apoio ao Investidor ou formar uma associação para intervenção na sociedade local e ser apoiado pelo Fundo de Coesão Rural.
Hoje nota-se claramente que a Praia preocupa-se com questões sociais como proporcionar as melhores condições para os jovens, tirar as pessoas pobres da pobreza ou pelo menos dar-lhes uma vida mais digna. Preocupa-se em dar um sorriso aos nossos idosos quando lhes dá um cabaz, quando leva a casa deles a assistente social demonstrando preocupação em saber como estão.
É esta a nossa diferença com Lisboa. Na Praia trabalha-se para o bem da comunidade em geral, para o bem de todos e de cada um. Esta é a Praia abraçando o futuro.

*Texto da minha autoria publicado no espaço "Opinião Convidada" do blog: www.inconcreto.blogspot.com e no jornal terceirense "Diário Insular"

Prós e Contras

Recentemente participei no programa da RTP, "Prós e Contras", em respresentação do Instituto Superior de Ciências Socias e Políticas. Entre os convidados do programa estava o Dr. Mário Soares.

video

Açores


Sinónimo de Natureza
Rodeado de Mar
Amigo de beleza
Pai de um verdejante imenso
E de um povo maravilhoso.

Açores…
Sinónimo de pássaros
De descanso
Onde não há o desassossego de Lisboa.
Onde prevalece a paz
A festa
A cultura
A alegria
E o verdadeiro descanso.

Açores…
Que sorriem para o mar
Que se cruzam com ele.
Açores…
Açores.