segunda-feira, 29 de junho de 2009

Praia, abraçando o futuro

Sou orgulhosamente praiense. Hoje em dia estudo ciência política em Lisboa e como o leitor deve perceber ando entre Lisboa e Terceira.
Cheguei a Lisboa há pouco mais de um ano e meio e tento ter ao máximo uma maior dedicação nos assuntos políticos que envolvem a cidade de Lisboa nunca tirando a atenção daquilo que se passa na minha cidade de origem. É interessante observar a disparidade entre os problemas da capital de Portugal e as pequenas grandes cidades açorianas. Compreende-se logo à partida o “porquê?” de serem tão díspares e tão diferentes pois as dimensões não se comparam.
Enquanto em Lisboa o assunto pode ser o metro cheio de água quando chove como acontece e não se compreende, na nossa praia o assunto pode ser, como foi nas últimas semanas de 2008, o encerramento do eternamente nosso “Café Terezinha”.
Gosto de observar as realidades das duas cidades. Por Lisboa podemos ter um passeio que às vezes é desmotivador porque na esquina de uma rua podemos encontrar um pedinte sem pernas, no metro, um pedinte que é cego, na rua do politeama, um pedinte terceirense que sempre que o vejo, para espanto da minha companhia, vou cumprimentá-lo e dar uma esmola. É desmotivante e dá-nos a noção do tamanho da nossa impotência perante estas situações porque 1€, 2€, 5€, 10€, 15€, 20€, uma sandes ou um sumo não vai resolver para sempre o problema daquela pessoa, vai simplesmente e só ajudá-la.
Pela Praia passeio quando lá vou e é um passeio motivador porque problemas como os que citei anteriormente não são tão evidentes embora possam existir. Ter passeado pela Praia nas minhas últimas férias encheu-me de orgulho porque passeia-se num meio onde a vida social é bastante boa. O Presidente preocupa-se com as pessoas pobres, o Presidente ajuda-as e as mais diversas associações estão perto delas ajudando-as como podem e no que podem ajudar.
Olho a Praia e vejo ali um belo futuro porque lá não nos preocupamos em deixar a porta fechada porque podemos ser assaltados se estiver aberta; não olhamos a outra pessoa e dizemos para nós “parece-me que este gajo me vai assaltar”. Nada disso! Embora estejamos sempre precavidos, são situações que felizmente ou infelizmente acontecem esporadicamente. O que constitui um grande problema para a Praia e para os praienses é o fim da geração Rocha na gestão do mais antigo café da cidade. Gerência esta que teve termino no final do ano pela já longa idade dos antigos proprietários. Que belo café… vai deixar saudades!
Um pouco mais a sério… é óbvio que a praia tem Problemas verdadeiros e que nos últimos 4 anos têm sido resolvidos da melhor forma possível desde que Roberto Monteiro assumiu os comandos da cidade. Hoje: ouve-se os funcionários da câmara para se atingir determinados objectivos, noutros tempos chegava-se à câmara e nada disso acontecia. Hoje passeio pela cidade sabendo que vou ter uma piscina anexada à Escola Secundária Vitorino Nemésio; que tenho transporte no centro da cidade; que está a ser construída a tão prometida avenida; que as freguesias têm verdadeiros apoios e não meras promessas; sabendo que tenho condições para aceder aos mais diversos locais da cidade para observar paisagens paradisíacas da nossa ilha; sabendo que as pessoas do Bairro Joaquim Alves estão sendo alojadas em casas com melhores condições e que há muito foram prometidas; passeio sabendo que vou ter mais e melhores locais para a juventude, ou mesmo sabendo que posso apresentar um projecto à Câmara recorrendo ao Gabinete de Apoio ao Investidor ou formar uma associação para intervenção na sociedade local e ser apoiado pelo Fundo de Coesão Rural.
Hoje nota-se claramente que a Praia preocupa-se com questões sociais como proporcionar as melhores condições para os jovens, tirar as pessoas pobres da pobreza ou pelo menos dar-lhes uma vida mais digna. Preocupa-se em dar um sorriso aos nossos idosos quando lhes dá um cabaz, quando leva a casa deles a assistente social demonstrando preocupação em saber como estão.
É esta a nossa diferença com Lisboa. Na Praia trabalha-se para o bem da comunidade em geral, para o bem de todos e de cada um. Esta é a Praia abraçando o futuro.

*Texto da minha autoria publicado no espaço "Opinião Convidada" do blog: www.inconcreto.blogspot.com e no jornal terceirense "Diário Insular"

2 comentários:

Comercial disse...

Olá
Em primeiro lugar dou te os parabéns pelo blog.
Em relação a este post sobre a Praia da Vitoria, devo te dizer que foste pouco imparcial, Uma vez que nos antigos executivos também se fez muito pela Praia, e se mais não foi feito foi porque muitas vezes o governo regional volta as costas as autarquias que não são do PS.
Por outro lado faltou te referir que nos últimos quatro anos nem tudo foram rosa, a título de exemplo cito a 2guerra” dos trabalhadores da Câmara requisitados pela Praia Ambiente e a divida deixada pelo actual executivo, que terá de ser paga durante 35 anos.
Por fim refiro a quantidade de cargos criados dentro da própria autarquia para militantes, apoiantes e simpatizantes do partido socialista.

Nuno Pereira disse...

Olá Comercial!

Nos anteriores executivos não se fez mais do que no actual porque só sabiam criar obstáculos a eventuais parcerias com o governo regional dos Açores e governo da República.

O empréstimo de que falas para ser pago em 35 anos não é assim tão avultado quando as coisas com o Dr. Roberto são feitas com transparência (se me vierem dizer que havia transparência no anterior executivo vai me dar vontade para rir porque se há coisa que não é verdade é mesmo isso). Esse mesmo empréstimo é para obras necessárias e vitais para o futuro da Praia da Vitória. Dou-te dois exemplos dos muitos que podia dar: o Pavilhão Multiusos que vai ser uma obra extremamente importante para a Praia e a expansão da Praia da Vitória para a periferia.

Quanto a isso dos cargos que dizes: há que ter em conta as competências das pessoas e se elas são competentes para exercer determinados cargos porque é que não os podem exercer? Se há coisa que um Presidente da Câmara precisa é pessoas de confiança em seu redor e competentes. Eu também fui um dos que recebeu o famoso e-mail e achei uma parvoíce terem feito um e-mail para tentarem denegrir a imagem do actual executivo. Foi sem dúvida um golpe muito baixo. E digo-te mais, é um e-mail totalmente feito de mentiras. Como não conseguem fazer oposição a esta câmara devido à excelente obra que tem feito, recorrem a golpes muito baixos para tentarem fazer oposição.
Cumprimentos,
Nuno